sábado, 20 de março de 2010

JULIA CHILD


Ontem à noite assisti “Julie & Julia”, um filme baseado na história real de Julia Child e Julie Powel. Simplesmente apaixonante.
Julia Child já fazia parte da minha vida desde que fiz intercâmbio e morei um ano nos Estados Unidos. A família que me “adotou” adorava cozinhar e tinha o primeiro livro dessa mulher que revolucionou a culinária americana. Aliás, o filme conta a história de como Julia escreveu e conseguiu publicar o livro “Mastering the Art of French Cooking”(Dominando a arte da culinária francesa), que foi direcionado para americanas que não tinham criadas. Ela desmistificou a gastronomia francesa.
Bom, Julia foi morar na França com o marido Paul, que era funcionário da Embaixada. E lá foi onde tudo começou.
Era uma mulher grande e um pouco desengonçada, e uma cena engraçada é quando está picando cebola numa bancada baixa, completamente debruçada sobre a mesa.
Bem, conversando com Paul percebeu que não podia ficar parada, sem ocupar seu tempo. E quando ele a perguntou o que gostava de fazer a resposta foi simples: “Comer”. Depois disso foi ao Cordon Bleu e se matriculou numa turma profissionalizante (era a única disponível). Era a única mulher na turma, e por conta disso (todos achavam que era uma dona de casa ocupando seu tempo), ela provou o contrário. Se tornou a melhor aluna da turma. Mas a verdade é que Julia fez o curso para aprender a cozinhar para Paul, que todas as noites comia como um rei.
Ah, ela tinha 37 anos quando se matriculou na Cordon Bleu. Depois disso virou professora de culinária para americanas que moravam em Paris e aos 48 anos lançou esse tal livro a que me referi.
No total ela publicou aproximadamente 20 livros. Uma lição para mim mesma que me acho velha aos 37 anos e fico tão ansiosa que o tempo passa e acabo sem fazer nada (ou acho que não fiz nada).
Mas Julia era, antes de mais nada, uma entusiasta. Tão despretenciosa que tudo dava certo. Uma das frases dela era: Se algo der errado nunca se desculpe nem dê explicação, o que mostrava que era uma pessoa totalmente “no stress”.
Uma receita famosa da Julia é o Boeuf Bourguignon, que preparava numa de suas caçarolas Le Creuset – EU QUERO UMA !!!!!!! Foi graças a ele que uma editora quis publicar seu livro, depois de alguns “não”de outras editoras.
A partir disso Julia passou a dar aulas na TV, na cozinha de sua casa (a foto acima) e se tornou um ídolo americano, mostrando que cozinhar não tem mistério. É só não temer.

Bon Appetit !!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário